Webmail

Webmail

Notícias

Notícias

Segurança do Trabalho

Segurançado Trabalho

Fale Conosco

Inscrições

Trabalhe Conosco

Trabalhe Conosco

Área Restrita

Área Restrita

Newsletter

Receba novidades, preenchendo seus dados nos campos abaixo:

Previsão do Tempo

O CARRETEIRO - Vai trocar de caminhão? Veja sete dicas na hora de escolher o veículo

SETCAMAR A FORÇA DO TRANSPORTADOR

Superintendente Zanoni Luiz Favero
Thais Caroline S Ramos

Trocar o caminhão por um modelo zero quilômetro tem sido há anos um dos principais sonhos da maioria dos autônomos. Uma alternativa para este tipo de profissional não ficar tão defasado tem sido a troca do usado por outro modelo seminovo.

Porém, é importante o carreteiro fazer um planejamento para que a troca seja realmente eficiente. O gerente de vendas da Marcelo Caminhões, Renne Arantes Gonçalves, listou alguns fatores importantes a serem observados antes de realizar qualquer o negócio.

LOCAL: escolher locais seguros e confiáveis para realizar a compra do caminhão seminovo, para evitar problemas futuros e não haver prejuízos.

AVALIAÇÃO: avaliação não deve ser apenas visual e sonora – no caso do motor – o comprador deve estar atento ao respiro, que nesse caso (motores a diesel usados) emite uma certa quantidade de fumaça a qual deve ser grande.

VAZAMENTOS: Observar se há vazamentos de água e óleo. No caso do câmbio, pode ser utilizada uma técnica específica para testar os sincronizados, se as marchas “escapam” e também ficar atento a barulhos e “choros” como se costuma dizer. No caso dos diferenciais, a atenção se volta a folgas e barulhos.

CONHECIMENTO: verificar a forma como o veículo trabalha e tipo de serviço realizado.

DOCUMENTAÇÃO: o comprador deve desconfiar de preços milagrosos, pois na maioria das vezes veículos oferecidos são comprados de empresas falidas ou de pessoas físicas com alto endividamento. Essas situações podem acarretar em bloqueio judicial da documentação, problemas, enfim, que podem demorar meses ou até mesmo anos para serem resolvidos.

CUIDADO COM OS NEGÓCIOS: não se pode criar uma regra na qual cada caminhão tem um valor fixo de acordo com modelo e ano. Muitas vezes um veículo de má procedência que sendo oferecido por preço abaixo do valor de mercado, pode exigir reparos que vão custar mais do que o dobro do valor pago para que o veículo fique em ordem.

ATENÇÃO COM A MANUTENÇÃO: importante observar que um veículo com alta quilometragem e boa manutenção, com operação dentro das especificações do fabricante, com certeza é superior a outro com quilometragem baixa, porém com manutenção e operação inadequados.

Fonte: O Carreteiro

 

Associados