Webmail

Webmail

Notícias

Notícias

Segurança do Trabalho

Segurançado Trabalho

Fale Conosco

Inscrições

Trabalhe Conosco

Trabalhe Conosco

Área Restrita

Área Restrita

Newsletter

Receba novidades, preenchendo seus dados nos campos abaixo:

Previsão do Tempo

ANTT divulga balanço de melhorias nas rodovias federais concedidas

SETCAMAR A FORÇA DO TRANSPORTADOR

Superintendente Geasi Oliveira de Souza
Por: Valério Zawadzki

21 de Setembro de 2015

Segundo informações consolidadas pela ANTT para a Semana Nacional do Trânsito 2015 (18 a 25/9), houve diminuição de 22% no número de vítimas fatais e 7% no quantitativo de acidentes nas rodovias federais concedidas da 1ª, 2ª etapa e Eco101 (3ª etapa) no primeiro semestre de 2015, em comparação ao mesmo período do ano anterior. O restante da 3ª etapa ainda não havia sido implementado nesse intervalo temporal.

Em cinco concessões da 1ª etapa (BR-116/RJ/SP, BR-040/MG/RJ, BR-116/RJ, BR-290/RS e BR-116/RS e BR-392/RS) – Ponte Rio Niterói não participou do estudo –, foram registradas 160 vítimas fatais em 2015, número inferior aos 186 de 2014. Nesse caso, ocorreu 14% de redução. Em relação à quantidade absoluta de acidentes, houve diminuição de 12%, com 8.590 ocorrências em 2015, em contraponto a 9.715 em 2014.

Já nas oito concessões da 2ª etapa (BR-116/PR/SC, BR-116/376/PR, BR-116/SP/PR, BR-381/MG/SP, BR-101/RJ, BR-153/SP, BR-393/RJ e BR-116/324/BA), calculou-se 19% de diminuição de vítimas fatais, sendo 382 neste ano e 469 no ano anterior. No caso de acidentes, houve redução de 4%, sendo 17.559 em 2015 e 18.273 em 2014. Confira, no anexo abaixo, as estatísticas completas.

Os dados reafirmam a melhoria da segurança nas rodovias federais concedidas, conforme constatou balanço elaborado pela ANTT. De acordo com a superintendente de Exploração de 18092015Infraestrutura Rodoviária, Viviane Esse, o aprimoramento das exigências contratuais e das fiscalizações sobre as concessões é o principal motivo do aperfeiçoamento da infraestrutura dos trechos. Os contratos preveem a execução de obras de melhorias físicas e operacionais, além de ampliação da capacidade das vias para garantir o bem-estar dos usuários e as condições de fluidez do tráfego.

Entre os requisitos contratuais destaca-se a elaboração de um Programa de Redução de Acidentes (PRA), com acompanhamento anual, no qual são apresentadas informações de pontos críticos, bem como soluções a serem implantadas em curto, médio e longo prazos.

Campanha – Neste ano, o tema da Semana Nacional do Trânsito é dedicado à Década Mundial de Ações para a Segurança no Trânsito (2011 - 2020), que visa tomar novas medidas de prevenção de acidentes no trânsito em todo o mundo, que matam cerca de 1,3 milhão de pessoas por ano. A meta é reduzir em 50% o número de mortos no trânsito no Brasil no período de 10 anos.

Além da regulação e fiscalização, a ANTT tem trabalhado em campanhas educativas e de responsabilidade social para contribuir para a redução de acidentes.
Segundo o coordenador do Núcleo de Comunicação e Responsabilidade Social da Unidade Regional de São Paulo da ANTT, Paulo Henrique Hermínio, o papel da agência reguladora deve ser preventivo e educador. “A ideia é informar, formar e conscientizar”, afirma.

Nesse contexto, a campanha “Vou de Cinto”, realizada em parceria com a concessionária CCR Nova Dutra, tem gerado resultados positivos, com cerca de 400 abordagens por ação mensal. A mudança de cultura pode prevenir até 75% o risco de uma lesão grave num acidente.

O objetivo é expandir a iniciativa para outras concessionárias, em uma campanha nacional de conscientização. Em 10/9, a ANTT apresentou a ideia para o Projeto Escola, do grupo Arteris, que detém cinco concessões rodoviárias federais. “Acreditamos que o processo de educação e prevenção pode resultar em uma mudança de atitude, desde a idade infantil”, explica Paulo Hermínio.

Participação da população – Com o slogan “Seja você a mudança no trânsito”, a ideia da Semana Nacional de Trânsito é também mostrar que a segurança viária é responsabilidade de todos: órgãos públicos, motoristas, passageiros, pedestres. A união de esforços entre a sociedade e o poder público visa salvar vidas. O uso dos equipamentos de segurança e a utilização da faixa de pedestre e das passarelas são medidas que podem fazer a diferença.

Fonte: FETRANSPAR

Associados